segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Festival de Música Brasileira de Paracatu - MG


Por: Hannif Linhares

Hoje vamos contar um pouco da trajetória dos músicos Marcelo de Oliveira (Negrothe) e Daniel Chagas, que fazem da música muito mais que um hobbie.

Vamos conhecer um pouco da trajetória deles até aqui?


Daniel é técnico de manutenção elétrica e Marcelo trabalha no plano de emergência da INB. A carreira musical deles teve início ainda na adolescência, como conta Daniel: “Percebi cedo que a música sempre esteve em minha mente. Porém, só fui enfrentar o aprendizado de um instrumento aos 15 anos, depois de me interessar por heavy metal e combinar com os amigos que iríamos formar uma banda”. Marcelo começou um pouco mais tarde. Aos 18 anos sentiu necessidade de mostrar a arte que o dominava: “Foi crescendo em mim a necessidade de mostrar a minha arte, que é a poesia. Fui além e comecei a cantar tudo o que eu escrevia”.
Marcelo Negrothe - foto divulgação
Vida de músico não é fácil! Principalmente quando não é a primeira ocupação, se torna mais difícil ainda. Os obstáculos no caminho e a falta de tempo são alguns dos empecilhos enfrentados com disposição por eles, para continuar levando som de qualidade ao público. Marcelo enxerga as dificuldades como um ponto forte, mas sem perder o otimismo: “A maior dificuldade é ser valorizado como músico e ter a abertura de locais para se apresentar. O trabalho autoral não recebe muita atenção das pessoas”.   Já Daniel encara essas questões com mais simplicidade: “Se o cara se diverte tocando e tem um instrumento que o atende, basta acreditar na própria música e tocar as pessoas se conectando a elas através da música”. E para eles, o show não pode parar! A cada apresentação suas energias são renovadas e a vontade de levar a paixão ao público aumenta. Por muitas vezes já pisaram no palco, colecionando boas apresentações, festivais e reconhecimento.
Marcelo e Daniel: Metamorphose, bar de Volta Redonda
Foi recentemente que Marcelo e Daniel decidiram unir suas habilidades criando um projeto chamado Marcelo Negrothe e os Psicossônicos. O projeto rendeu frutos, permitindo a dupla mostrar seu talento no tradicional Festival de Música Brasileira de Paracatu – MG, cidade que faz divisa com o estado de Goiás.  A banda chegou a semifinal do evento e, segundo eles, a experiência adquirida valeu muito: “Foi maravilhoso, como banda, poder viajar, pegar a estrada, conhecer gente e lugares diferentes. Tudo isso deixou lembranças que valem mais do que qualquer prêmio ou prestígio”, concluíram. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário